MONTES CLAROS DE GOIÁS

Rochoso

TYPE:

CLASS:

CLAN:

GROUP:

SUBGROUP:

PET TYPE:

EST. SHOCK:

INTERPERISM:

PARENTS:

YEAR:

DESCRIPTION:

CHONDRITO

ORDINÁRIO

H-L-LL

H

5

S4

W2

BRASIL - GO

2018

Condrito Ordinário Equilibrado H5, intemperizado por oxidação terrestre.

PETROGRAPHY:

Duas seções delgadas foram analisadas. Os côndrulos não são bem definidos. Côndrulos, com diâmetro aparente variando de 0,5 a 1,5 mm (média de 0,7 mm), inseridos em matriz de granulação média composta por ortopiroxênio, olivina, plagioclásio e clinopiroxênio menor. Os principais cristais de piroxênio em toda a seção são ortopiroxênios. Olivina apresenta extinção ondulatória, fraturas planas e mosaicismo. O meteorito apresenta finos veios de derretimento, alguns deles com pequenas bolsas de derretimento e presença de metal derretido e flocos de troilita. As fases opacas são representadas por ligas de Fe, Ni (alfa e gama) e sulfetos tanto nos côndrulos quanto na matriz. As linhas de Neumann podem ser vistas em muitos grandes cristais de kamacita e cerca de 20 a 30% do metal já foi oxidado. Isso gera uma coloração de laranja a marrom na fase de silicato e também muitas fraturas preenchidas com óxido. Presença de grãos feldsfáticos, cromita e fosfato de até 100 μm.

GEOCHEMISTRY:

Análise de Microssonda Eletrônica: olivina Fa18,6 ± 0,6 (18), piroxênio baixo Ca Fs16,7 ± 0,6 En82,2 ± 0,7Wo1,1 ± 0,5 (17), piroxênio alto Ca Fs12,9 ± 2,8 En65,1 ± 0,7Wo22,0 ± 8,1 (5); plagioclase Ab80,4 ± 2,1An12,2 ± 1,2O7,5 ± 1,2 (10), Co em kamacita 0,46 ± 0,02 (30).

CLASSIFICATION:

Condrito Ordinário H5. Intemperismo (W2) e choque leve (S4)

CLASSIFIERS:

M. E. Zucolotto e A.A. Tosi

STORY:

Em setembro de 2018, Dione Pantaleão, administrador da Fazenda Corrego Mestre, localizada a cerca de 30 km a noroeste da cidade de Montes Claros de Goiás, no Estado de Goiás, notou uma grande pedra em uma área sem outras pedras. Em maio de 2019, o espécime grande e incomumente pesado foi mostrado ao proprietário da fazenda, Eduardo F. de Melo, que então contatou o coletor de meteoritos Carlo Bottelli para buscar ajuda na identificação do possível meteorito. Em julho de 2019, Bottelli e Eduardo levaram o meteorito para um encontro de astronomia (5º Encontro Paulista de Astronomia - Sertãozinho, São Paulo), onde sua autenticidade foi confirmada por André L R Moutinho e Maria Elizabeth Zucolotto.

All information that does not have a specific source were extracted from the Meteoritical Bulletin Database.

All images are copyrighted.